CHOCOLATE: MOCINHO OU VILÃO?

A Páscoa vem se aproximando e as divulgações de chocolates, dos mais variados tipos, sabores, texturas e formatos, aumentam a cada dia…aumentam tanto quanto a nossa vontade de provar cada um deles, não é mesmo?

Entretanto, não podemos esquecer da saúde, daqueles dias suados na academia, onde buscamos um corpo mais bonito e saudável! Então, surge o dilema: o que fazer? Ceder à tentação do chocolate ou manter-se focado na dieta!

E se eu te dissesse que é possível ter as duas coisas ao mesmo tempo? Melhor ainda! E se eu te dissesse que existem sim propriedades saudáveis naquele apetitoso e suculento chocolate que derrete na sua boca?

Muito além de “memes” bem humorados da internet que afirmam que chocolate vem da fruta e por isso você pode ingeri-lo sem culpa! Neste texto vamos tratar de informações científicas que irão deixar sua Páscoa com um “gostinho especial”!

Vamos começar pelo principal, sem ele não há chocolate: o cacau! Esta frutinha, que já serviu até mesmo como moeda de troca pelos astecas, é reconhecida por possuir propriedades energéticas e estimulantes desde o século XIV.

Existem espécies de cacau que chegam a possuir até 20% de seu peso seco de polifenóis e flavonoides, estes, por sua vez, são foco de inúmeros estudos devido aos comprovados efeitos antioxidantes quando ingeridos. Além disso, os flavonoides possuem benefícios no auxílio da manutenção da saúde cardiovascular.

Dentre as diversas substâncias presentes no cacau, há também a anadamina, esta é uma das grandes responsáveis por aquela sensação agradável de quando ingerimos o chocolate. Isso porque a referida substância é capaz de se ligar a receptores em nosso cérebro que estimulam a sensação de bem-estar. Sem contar a presença dos fitoquímicos metil-xantina e teobromina, que possuem efeito estimulante semelhante ao da cafeína.

Ainda há relatos de outros efeitos benéficos do cacau, tais como: efeito anticarcinôgenico, anti-úlcera, antitrombótico, antiinflamatório, antialergênico, regulador do sistema imunológico, antimicrobiano, vasodilatador e analgésico.

Mas muita atenção! Devemos ter muito cuidado com a interpretação destas informações!!!

Isso porque uma análise mais profunda, baseada em pesquisas científicas, sugere que alguns chocolates realmente são benéficos para a saúde quando consumidos com moderação. Entretanto, seria prematuro trazer esta informação como conclusiva, sem tomar os devidos cuidados para interpretar e representar devidamente as informações.

Chocolates com maior teor de cacau, mais amargos, possuem uma maior concentração de flavonoides naturalmente encontrados no cacau e, consequentemente, são mais saudáveis. Há também aquelas opções com outros antioxidantes (frutas e extratos vegetais) intencionalmente adicionados a alguns chocolates disponíveis no mercado, além daqueles com redução calórica, de açúcares e gorduras, que reduzem a fração “não saudável” do chocolate.

Ao dar preferência às diversidades descritas acima, estará ingerindo produtos de melhor qualidade nutricional que, quando consumidos com a devida moderação, irão fazer bem para seu corpo e sua mente!

Comentários no Facebook

topo